sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Um homem Inteligente - Falando das Mulheres

(Drauzio Varella)


O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários
seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação,
mas na verdade acredito que é ela quem me mantém.
Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência,
lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade
a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro.
Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro.
Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula
perdem o seu DNA.
Você jamais terá a posse de uma mulher,
o que vai prendê-la a você é uma linha frágil
que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho.
Dê-lhe em abundância.
É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.
Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã
as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia.
Um abraço diário é como a água para as samambaias.
Não a deixe desidratar.
Pelo menos uma vez por mês é necessário,
senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem.
Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia,
discutir a relação...
Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas,
passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza,
colecionar brincos, comprar sapatos,
ficar horas escolhendo roupas no shopping.

Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere
não acreditar na existência do cérebro feminino.
Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo
(e algumas realmente o aposentaram!).
Então, aguente mais essa:
mulher sem cérebro não é mulher,
mas um mero objeto de decoração.
Se você se cansou de colecionar bibelôs,
tente se relacionar com uma mulher.
Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você.
Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça.
E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens,
a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem
tenha uma mulher ao seu lado,nunca atrás.
Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado.
Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-no-traseiro.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira
e os utiliza para motivar os próprios.
Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher,
ele estará salvando a si mesmo.

E meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Feliz Natal e um Próspero 2011...


domingo, 19 de dezembro de 2010


"Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz - disse ele depois de um tempo - temos um pequeno período de tranquilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós, e infestar todo o ambiente em que vivemos. Começamos a nos tornar cruéis com aqueles que nos cercam, e finalmente passamos a dirigir esta crueldade contra nós mesmos. Surgem as doenças e psicoses. O que queríamos evitar no combate - a decepçao e a derrota - passa a ser o único legado de nossa covardia. E, um belo dia, os sonhos mortos e apodrecidos tornam o ar difícil de respirar e passamos a desejar a morte, a morte que nos livrasse de nossas certezas, de nossas ocupaçoes, e daquela terrível paz das tardes de domingo."

Paulo Coelho
(O diário de um Mago)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Dança Folclórica - Bandari




Temos aqui uma dança que foi influenciada pela Índia. Em torno de 3.000 a.C., tem-se conhecimento de um povo da Ásia Central que hoje é conhecida como Irã. Esse povo chamou-se, BANDARI, palavra essa que significa cidade que fica no mar, ou seja moradores de uma aldeia litorânea. Todos os moradores do litoral do Golfo Pérsico ficaram conhecidos como bandaris.
A dança é simples e demonstra o cotidiano das mulheres dos pescadores de pérolas (na origem a maioria africana e indiana). As mulheres ficam em casa e os homens vão para o mar trabalhar. No fim da tarde elas vão para a praia esperá-los e ficam acenando da areia com lencinhos para que eles do mar possam identificá-las e voltar mais depressa. Elas dançam enquanto os esperam pedindo para a Deusa das águas proteção e fartura para o seu homem fazendo com que ele traga para a casa muitas perolas e peixe. Os homens que não foram pescar acompanham a dança marcando o ritmo com palmas e canto.
A roupa utilizada é uma calça comprida reta ou franzida nos tornozelos, túnica até os joelhos de manga comprida ou pelos cotovelos podendo ser bordada ou não. Se for transparente utilizar outra blusa por baixo. Lenço liso no quadril segurando outros tantos lenços menores. Cabelos cobertos por véu com testeira de moedas, conchas e búzios. Pulseiras coloridas, muitos adereços de prata e chador de crochê. Olhos com kajal bem marcados. Os passos são uma mistura de vários tipos de dança, mas tendo predominância do Kaligge e folclore árabe.
Terra Majestade

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Como escolher sua roupa de Dança do Ventre...


Para quem quer aproveitar todos os benefícios da Dança do Ventre e entregar-se de corpo e alma a ela, deve se preparar para praticá-la. A vestimenta e os acessórios são peças fundamentais para a prática da dança. Saia, véus e cinturões. Dependendo do tipo de dança (estilo) e da região, as peças variam bastante. Aqui, vamos enfocar os trajes principais para que você possa praticar esta milenar dança que faz tanto bem à mulher.

Mas cuidado!! Nem o chamado, tudo com tudo dentro, pode!!!

Há todo um cuidado de estudar qual traje cabe na música, qual tipo físico, qual cor usar e em que ocasião usar.
Vou tentar resumir tudo aquilo que estudei para que possa acrescentar ainda mais charme na dança de cada uma.

Vale algumas dicas...

Prefiram cores que favoreçam tons de pele e cabelo, estude-se, pesquise antes de simplesmente, pagar caro por um traje que achou lindo e, no acho que dá, sair gastando horrores.
Existem vários tipos e um pode ser o seu tipo de roupa.
A dança do ventre é muito rica e uma arte de intenso estudo até na hora de escolher o traje apropriado para dançar.

Saias
Uma das peças fundamentais para a prática da dança, a saia pode variar em quatro modelos, correspondentes aos quatro elementos da Natureza:
Modelo Água: Saia godê na abertura dos quadris com duas aberturas (fendas) frontais. Costuma-se usar outra saia por baixo, respeitando as duas aberturas frontais. As cores dos tecidos podem ser brilhantes, dourados ou prateados, em tecidos transparentes.

Modelo Terra: Saia com duas aberturas frontais, recortadas de forma retangular, com cós ou elástico. Os tecidos podem ser de cetim, jérsey, liganete ou seda.

Modelo Ar: Saia justa com cós, porém, sem elástico; as duas aberturas são laterais e não como as outras (frontais). Tecido: pode ser de jérsey ou cetim.

Modelo Fogo: Saia composta de sete quadrados iguais do tecido e presos nas laterais e no cós da saia, com duas aberturas frontais. Os tecidos podem ser coloridos (da mesma cor ou em cores alternadas).

Cuidado com as fendas e transparências! Se for usá-las não hesite em usar uma saia mais discreta por baixo no mesmo tom e cor. Prefira tecidos com alguma elasticidade para que tenham conforto nos movimentos, os com Lycra são ótimos, tipo veludo molhado (um luxo! =D ) tem brilho próprio. Fendas muito acentuadas pode levar ao público que assiste a sua dança um ar de vulgaridade, pois pode aparecer partes do corpo que não deseja mostrar no palco...

Bustiês e Sutiãs
Outra peça importantíssima é o bustiê. Pode ser usado um sutiã meia-taça, bordado com lantejoulas e miçangas e da mesma cor da saia ou do cinturão. Pode ser usado também um tecido brilhante, como a fazenda paetê, por exemplo. O acabamento pode ter como enfeite algumas pérolas, moedas, correntes e miçangas penduradas.
Meninas usem o bom gosto, bom senso e sensatez !
Ao escolher um bustiê, não use o mesmo número do dia a dia, use um ou dois números acima, para que não ocorra acidentes e você fique seminua no palco. Não importa o modelo do Bustiê, o importante é que cubra todo o seio, Prefira pedras delicadas, se tem seios fartos, fica mais delicado e para quem não tem tanto assim, vale até arriscar o enchimento,um bojo de bolha pode ficar lindo desde que não te exponha demais, busque sempre o conforto, use também 2 números acima.

Cinturão
O cinturão não é preso à saia, mas colocado sobre ela. Pode ser feito de correntes e medalhas ou mesmo de pala, podendo ser combinados; é uma peça que marca o quadril e embeleza a saia. De preferência, escolha um modelo da mesma cor do bustiê, pois, assim poderá ser usado com várias saias. O cinturão de pala pode ser reto, com um só "V" na frente ou tendo o mesmo formato nas costas. Existem variados modelos para você escolher, e não tenha medo de ser feliz, escolha um modelo que combine com você, que tenha o seu gosto que fique bem no seu corpo, com muita ou pouca franja. Isso você escolhe

Materiais: Chatons, vidrilhos , franjas leves estão em alta. Use tom sobre tom com o tecido, mescle cores, azuis com roxos com rosas, azuis com amarelos, verde com lilás, dourados com cores... Solte a imaginação!!
Os enfeites
Como complementos de extrema beleza, você pode ser utilizar dos mais diversos enfeites. Os diademas (ornamento de cabeça), os colares e as correntinhas com moedas combinam bastante com os trajes. Brincos, grandes, pulseiras e braceletes com moedas e serpentes, também são bastante usados.
Não se esqueça de incluir lindos anéis nas mãos, nos pés e tornozeleiras. As luvas enriquecem a vestimenta e devem combinar com o bustiê ou com o cinturão. Podem ser de renda, de lantejoulas ou de moedas. Cobrem o antebraço, caso elas sejam longas, e podem ou não deixar os dedos livres. Dica: seja bastante criativa na escolha de sua roupa e "mergulhe" fundo no mundo mágico da Dança do Ventre

O mais importante é que a roupa transmita a sua personalidade, nada de comprar ou mandar fazer um modelo igual só porque tem muita bailarina usando. De resto, faça a sua escolha de modo a ficar confortável.
Tempestade Lunar

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Danças Folclóricas - Guedra


Esta dança é conhecida como sendo uma dança ritualística do povo berbere árabes, mais precisamente dos Tuaregues (conhecidos como povo azul). Sua origem remonta de tempos pré-islâmicos.

A palavra GUEDRA significa pote ou panela de barro. Estes utensílios são cobertos com pele de animais e assim usados como um tambor para marcar o ritmo dando o som característico dessa dança.
Zaar egípcio a guedra é executada para abençoar os amigos, visitas, casamentos e recém-nascidos. Devido o instrumento a ser utilizado nessa dança ser de barro e pele para os berberes essa dança também significa o homem, pois como o instrumento, o homem também foi feito de barro e pele e o som do tambor quando tocado assemelha-se as batidas do coração. Portanto homem e instrumento tornam-se irmãos no som e no material.
O ritmo GUEDRA, é marcado pelo canto e palmas tendo unicamente como instrumento o tambor, sendo a dança executada somente por mulheres cobertas com um véu preto que é a representatividade da escuridão do espaço (Universo). As mãos se direcionam para os pontos cardeais imitando os quatro elementos e também lembrando o tempo (passado,presente e futuro). Os movimentos corporais vão mostrando o ritmo e a ordem do Universo a nós, suas criaturas.
O ritmo vai indo num crescente até que a dançarina entra em transe e caia no chão.
Usa-se uma túnica azul presa aos ombros ou um caftan. Os cabelos são transados com búzios ou conchas. Adornos de metal fundido e pedras como adereços. Mãos pintadas com henna e kajal abundante nos olhos. Em alguns lugares também se utilizam o vermelho e o amarelo para pintar tatuagens no rosto. É de extrema importância e necessidade que a dançarina saiba profundamente o que está dançando pois do contrário estará expondo uma caricatura de péssimo gosto para o público.

Uma bonita entrevista com um tuareg realizada por:
(VÍCTOR-M. AMELA a: MOUSSA AG ASSARID)

— Não sei minha idade. Nasci no Deserto do Saara, sem documentos.
— Nasci em um acampamento dos nômades tuaregs entre Timbuctu e Gao, ao norte de Mali, Fui pastor de camelos, cabras, cordeiros e vacas de meu pai. Hoje estudo gestão na Universidade de Montpellier.
Estou solteiro. Defendo aos pastores tuaregs.
Sou muçulmano, sem fanatismo.

* Que turbante tão formoso!
— É uma fina tela de algodão: permite tapar o rosto no deserto, e continuar a ver e respirar através dele.

* É de um azul belíssimo…
— Nós, os tuaregs, somos chamados de homens azuis por isso:
— O tecido solta alguma tinta e nossa pele adquire tons azulados

* Como conseguem esse tom de azul anil?
— Com uma planta chamada índigo, mesclada com outros pigmentos naturais. Para os tuaregs o azul é a cor do mundo.
* Porque?
— É a cor dominante: é a cor do céu, do teto de nossa casa.

*Quem são os tuaregs?
—Tuareg significa “abandonados”, porque somos um velho povo nômade do deserto, solitários e orgulhosos: “Senhores do Deserto, é como nos chamam. Nossa etnia é a amasigh (bereber), e o nosso alfabeto, o tifinagh.

*Quantos são?
— Uns três milhões, e a maioria permanece nômade.
Mas a população diminue. “É preciso que um povo desapareça, para que saibamos que ele existiu!” Apregoava um sábio. Eu luto para preservar esse povo.

* A que se dedicam?
— Pastoremos rebanhos de camelos, cabras, cordeiros, vacas e asnos num reino de imensidão e de silêncio

* O deserto é realmente tão silencioso?
—Quando se está sozinho naquele silêncio, ouve-se o batimento do próprio coração. Não há lugar melhor para se estar sozinho.

* Quais recordações de sua infância você conserva com maior nitidez?
— Desperto com a luz do sol e ali estão as cabras de meu pai. Elas nos dão leite e carne, nós a levamos onde há água e pasto… Assim fizeram meu bizavô, meu avô e meu pai… e eu.
- Não havia outra coisa no mundo além disso. E eu era muito feliz com isso.

*De fato! Não parece muito estimulante…
— Mas é muito! Aos sete anos já te deixam afastar-se do acampamento para que aprendas coisas importantes: farejar o ar, escutar, apurar a vista, orientar-se pelo sol e as estrelas… E a deixar-se levar pelo camelo, se você se perder. Ele te levará onde há água.
— Saber isso é valioso, sem dúvida…
— Ali tudo é simples e profundo. Existem muito poucas coisas. E cada uma tem um enorme valor!
* Então esse mundo e aquele são muito diferentes, não?
— Ali cada pequena coisa te proporciona felicidade.
Cada toque é valorizado. Sentimos uma enorme alegria pelo simples fato de nos tocarmos e estarmos juntos. Ali ninguém sonha com chegar a ser, porque cada um já o é!

*O que mais o chocou em sua primeira viagem à Europa?
— Ver as pessoas correndo pelo aeroporto. No deserto só se corre quando vem uma tempestade de areia. Me assustei. É claro!
*Eles apenas iam buscar suas malas…
- Sim! Era isso. Também vi cartazes de mulheres nuas. Me perguntei: porque essa falta de respeito para com a mulher?
Depois, no Íbis Hotel, vi a primeira torneira da minha vida, vi a água correndo e senti vontade de chorar…
- Que abundância! Que desperdício! Não?
- Todos os dias da minha vida consistiam-se em procurar água.
Quando vejo as fontes ornamentais aquí e acolá, continuo sentindo por dentro uma dor tão intensa…

*Tanto assim?
— Sim! No começo dos anos 90 houve uma grande seca. Morreram os animais e nós adoecemos. Eu tinha uns 12 anos e minha mãe morreu. Ela era tudo para mim! Me contava histórias e ensinou-me a contá-las muito bem. Ela me ensinou a ser eu mesmo.

* O que sucedeu com sua família?
— Convenci meu pai que me deixasse ir à escola. Quase todo dia caminhava 15km. Até que um dia o professor me arranjou um lugar para dormir e uma senhora me dava o que comer, quando eu passava em frente à sua casa.
Entendi que essa ajuda vinha de minha mãe.
*De onde surgiu esse desejo de estudar?
Uns dois anos antes, havia passado pelo nosso acampamento o rally Paris-Dakar, e uma jornalista deixou cair um livro de sua mochila. Eu o apanhei e lhe entreguei. Ela me deu o mesmo de presente. Era um exemplar do Pequeno Príncipe e eu me prometi que um dia conseguiria lê-lo.

* E conseguiu.
— Sim! Foi assim que consegui uma bolsa de estudos na França.

* Um Tuareg na universidade!
Ah, o que mais sinto falta aqui é o leite de camela... E o calor da fogueira, e de andar com os pés descalços na areia quente.
Lá nós olhamos as estrelas todas as noites e cada estrela é diferente das outras como cada cabra é diferente.
*Aqui, à noite, você olha para TV.
- Sim! E o que vc acha pior aqui?
- Vocês tem tudo, mas não acham suficiente. Vocês se queixam.
Na França passam a vida reclamando! Aprisionam-se pelo resto da vida à uma dívida bancária, num desejo de possuir tudo rapidamente ...
No deserto não há congestionamentos. e você sabe por quê?
Porque lá ninguém quer ultrapassar ninguém!

* Conte-me um momento de extrema felicidade no seu deserto distante.
- Todo dia, duas horas antes do pôr do sol: a temperatura abaixa, mas ainda não chegou o frio, e os homens e os animais, lentamente voltam para o acampamento e seus perfis são recortados em um céu cor de rosa, azul, vermelho, amarelo, verde...
Fascinante, na verdade...
É um momento mágico ...
Entramos todos na cabana e colocamos o chá para ferver.
Sentamo-nos em silêncio, a ouvir a ebulição ...
A calma invade todos nós, e o nosso coração bate ao ritmo
Do barulho da fervura...
Que paz!
Aquí vocês tem relógio…
… lá temos tempo.

- VOCÊ TEM O RELÓGIO, EU TENHO O TEMPO!
- NA NOSSA VIDA O TEMPO NÃO DEVE SER APENAS O MARCADO NO RELÓGIO.
- QUANTAS VEZES NOS NOSSOS DIAS NOS FALTA “O TEMPO”?

- O tempo é como um rio.
- Você não pode tocar a mesma água duas vezes,
- Porque a água que passou, não passará de novo.
- Aproveite cada momento da vida...

- ENCONTRE TEMPO PARA VIVER.

- Se você vive dizendo como você está ocupado, então você nunca estará livre.
- Se você vive dizendo que você não tem tempo, então você nunca terá tempo.
- Se você vive dizendo o que vai fazer amanhã, esse amanhã nunca chegará.

- Aproveite cada momento da vida ...
- Se você não usar o seu tempo durante o dia, você é o perdedor.
- É impossível voltar atrás.
- Valorize cada momento vivido, e esse tesouro terá muito mais valor se você compartilhá-lo com alguém especial, especial o suficiente para você gastar com ele o seu tempo...

- e lembre-se que o tempo não espera por ninguém


quinta-feira, 25 de novembro de 2010

"Devemos considerar como perdido, todo o dia em que não tivermos dançado pelo menos uma vez".
Friedrich Nietzche

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Opinião de um homem sobre o corpo feminino por Paulo Coelho

Não importa o quanto pesa. É fascinante toca, abraçar, e acariciar o corpo de uma mulher. saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção. Não temos a menor ideia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímentros - é uma questao de proporções, não medidas. As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas...
Essa classe do corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas sao retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque nao podem tê-los.
Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, sao equivalentes a mil viagras. A maquiagem foi inventada para que as mulheres usem, Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados melhor.
As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas... Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras sao cadeira e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essa formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.
É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranquila e cheia de saúde. Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. Porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.
Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda...
As jovens são lindas... mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.
O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto um mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.
Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade, a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade, sem sabotagem e sem sofrer; quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, ecomoniza.
Algumas linhas do rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhestira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos "em formol" nem em spa... Viveram!
O corpo da mulher é a prova de que Deus existe.
É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se!
A beleza é tudo isso.
Paulo Coelho.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Horóscopo Druidico

Também conhecido como "O Horóscopo das Árvores", este ramo da Astrologia remonta ao tempo dos Druidas, os sacerdotes que viveram nas regiões da Gália e da Irlanda durante a Idade Média. Além das funções sacerdotais, que iam desde a consagração de oferendas aos deuses da natureza até a prestação de aconselhamento aos membros da comunidade, os Druidas também se dedicavam aos estudos da magia, das propriedades curativas das plantas e dos corpos celestes.
Foi assim que nasceu o Horóscopo Druídico. Para simbolizar cada tipo de personalidade, estes antigos sábios escolheram doze diferentes árvores, que, para eles, estavam associadas a determinadas forças e características. Vale lembrar que os Druidas viviam nas florestas, e assim enxergavam o sagrado em cada detalhe da vida - nas plantas, nos animais, na chuva e no Sol, no nascimento e na morte.

(de 21/1 a 19/2) QUARESMEIRA
Símbolo da beleza e da abnegação, a QUARESMEIRA é a árvore do amor incondicional. As pessoas que nascem sob sua influência costumam se mostrar muito solidárias e possuem uma acentuada natureza intuitiva. São bastante vaidosas e podem até parecer arrogantes para quem não as conhece direito. São questionadoras, inteligentes e charmosas.
No Amor: A pessoa que nasce sob o signo de QUARESMEIRA preza muito a compreensão e a solidariedade. Por esse motivo, ela buscará relacionamentos que tenham um quê de fraternal, de terno, de amigo. A possessividade e o ciúme, para ela, não têm vez. Além da atração física, elas também enaltecem a comunhão de idéias e o companheirismo.
Na Profissão: A originalidade é uma das características marcantes dos nativos de QUARESMEIRA. Por isso, eles gostam de realizar trabalhos inovadores. Têm talento para a área de Informática e de Publicidade, e geralmente apreciam as atividades relacionadas com política e bem-estar social.

(de 20/2 a 20/3) AMOREIRA
Símbolo da vida e da proteção contra todo o mal, a AMOREIRA é a árvore da energia divina. As pessoas que nascem sob sua regência têm poderes mentais e espirituais muito fortes. No entanto, nem sempre sabem o que querem, motivo pelo qual podem perder a chance de conquistar a alegria e a realização plenas. Têm personalidade doce, e ao mesmo tempo forte.
No Amor: Para a pessoa de AMOREIRA, o amor é sinônimo de doação. Ela só sabe amar assim: entregando-se por inteiro, fazendo o máximo para atender às expectativas do ser amado, realizando cada desejos do(a) parceiro(a). Mas os nativos desse signo também são extremamente sensuais e mostram-se muito criativos na hora da intimidade.
Na Profissão: Sensíveis e compreensivas, as pessoas que nascem sob o signo de AMOREIRA gostam de trabalhos que lhes permitam realizar algo de bom pelos demais. Assim, podem se identificar com a Psicologia, a Medicina, a Assistência Social, etc. Embora pouco competitivas, elas colocam tanto amor em tudo que fazem que acabam brilhando naturalmente.

(de 21/3 a 20/4) CARVALHO
Símbolo da força e da inteligência, o CARVALHO empresta muitas características marcantes às pessoas que nascem sob sua regência. Um nativo deste signo jamais se curva diante das dificuldades. É firme, audacioso, e se não tomar cuidado, pode usar seu poder de forma destrutiva, pois raramente mede suas palavras e atitudes.
No Amor: Homens e mulheres que nascem sob este signo possuem uma energia sexual bastante acentuada. São individualistas e não toleram mentiras e nem traições. No entanto, nem sempre retribuem no mesmo grau de fidelidade, pois tendem a buscar novas emoções a todo momento.
Na Profissão: A sede de ousar, de ultrapassar fronteiras, de superar limites, faz com que a pessoa nascida sob o signo de CARVALHO se identifique com profissões nas quais possa exercer seu pioneirismo e sua capacidade de luta. É o perfil ideal para desempenhar o papel de líder, mas precisa evitar o excesso de autoritarismo.

(de 21/4 a 20/5) PAINEIRA
Símbolo da fartura e da prosperidade, a PAINEIRA está associada às riquezas da terra. As pessoas que nascem sob sua regência são batalhadoras e prezam a estabilidade. Emocionalmente, oscilam entre a mais profunda paz interior e a ansiedade trazida pelo ciúme e pela possessividade. Para se equilibrarem, precisam investir na busca do auto-conhecimento.
No Amor: As pessoas nascidas sob o signo de PAINEIRA podem ser parceiras maravilhosas, pois estão sempre dispostas a batalhar lado a lado com a pessoa amada pelos seus sonhos e ideais. No entanto, querem tomar conta da vida do outro e não sabem respeitar o direito à individualidade.
Na Profissão: Desde que possam multiplicar seus dividendos, as pessoas de PAINEIRA já se sentem realizadas. Para elas, essa história de "ser feliz mesmo ganhando pouco" não tem o menor cabimento. São realistas e sensatas. Apresentam um talento especial para as tarefas administrativas.

(de 21/5 a 20/6) IPÊ
Símbolo da dualidade, o IPÊ está associado ao mito grego de Perséfone, a deusa grega que permanece seis meses na Terra (primavera e verão) e seis meses no Reino dos Mortos (outono e inverno). As pessoas que nascem sob sua influência são versáteis, comunicativas e imaginativas. Seu defeito é mudar muito de idéia e não saber lidar com a realidade.
No Amor: No começo do relacionamento, homens e mulheres que nascem sob o signo de IPÊ parecem príncipes e princesas recém-saídos de um conto-de-fadas. Isso porque eles e elas são versáteis e captam os sonhos da pessoa amada, adaptando-se a eles. Com o tempo, porém, revelam-se um tanto racionais e instáveis, e a relação só se sustenta se houver um laço de amor muito forte unindo o casal.
Na Profissão: As atividades ligadas à comunicação, ao comércio e ao ensino são as mais adequadas para as pessoas que nascem sob o signo de IPÊ. Os nativos deste signo também podem desempenhar mais de uma função simultaneamente, pois são versáteis e gostam de estar em constante movimento.

(de 21/6 a 21/7) ROMÃZEIRA
Símbolo da fecundidade, a ROMÃZEIRA é uma das árvores mais importantes no imaginário das antigas civilizações européias. Seu fruto representa os ovários, e suas sementes, os óvulos prontos para receberem a fecundação. Por isso, as pessoas nascidas sob sua influência prezam demais a família e realizam-se quando têm filhos. Costumam ser conservadoras, imaginativas, protetoras e ternas.
No Amor: A prioridade dos nativos (e nativas) de ROMÃZEIRA é a conquista de uma vida familiar feliz. Por esse motivo, têm enorme dificuldade em curtir relacionamentos leves e instáveis. O que realmente desejam é um compromisso sério, bem definido, e que traga dois importantes componentes: a fidelidade e o respeito mútuo.
Na Profissão: Você se identifica com atividades que lhe permitam doar afeto para as pessoas e demonstrar seu alto grau de compreensão. Pela habilidade em lidar com crianças, pode se realizar nas áreas de Pedagogia, Pediatria e Psicologia infantil. Seus dotes culinários também são notáveis, o que traz boas perspectivas no ramo de restaurantes.

(de 22/7 a 22/8) COQUEIRO
Símbolo da energia geradora da vida, que os indianos chamam de Kundalini e os chineses de Chi, o COQUEIRO é a árvore da energia. Sua altura elevada representa o elo do ser humano com o Céu. As pessoas que nascem sob este signo são cheias de vitalidade, determinação, coragem e força interior. Possuem espírito combativo e sabem o que querem.
No Amor: Sabe aquele tipo de pessoa que faz de tudo para agradar o ser amado? Assim são os homens e as mulheres que nascem sob o signo de COQUEIRO. Só que não se trata de pura abnegação. Em troca de seu afeto verdadeiro e de seus carinhos intermináveis, exigem fidelidade, compreensão e sinceridade absoluta. Uma justa retribuição!
Na Profissão: Criatividade e talento artístico são duas qualidades que não faltam às pessoas nascidas sob o signo de COQUEIRO. Por isso, elas brilham quando têm a oportunidade de atuar em profissões que lhes permitam externar esses atributos. O exercício do poder também é extremamente gratificante para elas, que se dão muito bem em cargos de liderança.

(de 23/8 a 22/9) SALGUEIRO
Símbolo da sabedoria e da humildade, o SALGUEIRO é uma árvore bela, cuja imponência reside justamente no seu toque de tristeza - os galhos pendentes que tocam o solo. As pessoas que nascem sob sua influência nem sempre reconhecem o próprio poder pessoal, mas tornam-se insuperáveis quando aprendem a lidar com a força interna que possuem.
No Amor: Na ânsia de demonstrar todo o seu amor, a pessoa nascida sob o signo de SALGUEIRO pode se tornar um tanto dominadora, pois literalmente tenta "tomar conta" da vida do parceiro. Mas vale a pena investir nesse relacionamento, pois sua sinceridade e sua beleza são raras e preciosas.
Na Profissão: Quem nasce sob o signo de SALGUEIRO destaca-se pela capacidade de organização. As profissões que exijam perfeccionismo, senso analítico e critério administrativo são as que mais têm a ver com seu estilo. Essas pessoas também se interessam muito por assuntos como Saúde e equilíbrio, obtendo sucesso nas carreiras relacionadas à Medicina.

(de 23/9 a 22/10) CANELEIRA
Símbolo da longevidade e da sensualidade, por suas propriedades regenerativas e afrodisíacas, a CANELEIRA também representa a nobreza e a honra. As pessoas que nascem sob sua influência costumam ser muito sedutoras e exercem forte atração sob o sexo oposto. Comunicam-se com facilidade e adaptam-se bem a quaisquer situações.
No Amor: A beleza física costuma ser uma característica marcante das pessoas nascidas sob o signo de CANELEIRA. Mas não este não é o único ingrediente que as torna tão especiais: elas também são dedicadas, românticas, amorosas, e fazem o impossível para garantirem a felicidade e a realização das pessoas a quem amam.
Na Profissão: A pessoa que nasce sob o signo de CANELEIRA tem sensibilidade artística e estética. Por isso, ela se realiza em profissões que lhe dêem a oportunidade de lidar com coisas belas. Também é afável, diplomática, comunicativa e muito versátil, o que facilita seu trânsito nos mais diversos campos de atuação.

(de 23/10 a 21/11) MANACÁ
Símbolo da natureza em estado bruto, o MANACÁ empresta vigor, sensualidade e intenso magnetismo às pessoas que nascem sob sua influência. Suas raízes profundas representam a capacidade de desvendar os segredos do inconsciente. As pessoas deste signo são misteriosas, dotadas de inteligência sagaz e gostam de agir com justiça.
No Amor: Quanto mais se conhece o nativo (ou a nativa) de MANACÁ, mais se fica submisso ao seu fascínio, ao seu charme, ao seu irresistível poder de sedução. Extremamente sensoriais, as pessoas nascidas sob este signo colocam o prazer sexual em primeiro plano. São bastante possessivas e geralmente se mostram cautelosas e desconfiadas.
Na Profissão: Seu interesse por tudo o que seja misterioso ou oculto lhe confere um talento especial para lidar com trabalhos investigativos. Você também tende a se destacar em atividades que exijam minúcia, precisão e uma capacidade de análise mais profunda. Para ter sucesso, é fundamental que a pessoa nascida sob o signo de MANACÁ coloque a realização pessoal acima das aspirações financeiras.

(de 22/11 a 21/12) SERINGUEIRA
Símbolo da sabedoria superior, a SERINGUEIRA representava, para os druidas, a força do Sol e das mulheres guerreiras. Era identificada com Hipólita, a rainha das amazonas. As pessoas que nascem sob sua influência são virtuosas e modestas, mas também se mostram ousadas, determinadas e futuristas. Sua energia poderosa as conduz a grandes vitórias.
No Amor: A paixão intensa é o grande ideal da pessoa que nasce sob o signo de SERINGUEIRA. Ela simplesmente não se conforma em viver romances mornos ou "sem tempero". Exuberantes e ousadas, podem se entregar a relacionamentos insólitos ou até mesmo curtir mais de um amor ao mesmo tempo.
Na Profissão: O temperamento impetuoso dos nativos de SERINGUEIRA favorece o sucesso em profissões que proporcionem a eles um certo gostinho de aventura. Além disso, graças ao interesse dessas pessoas pelas culturas estrangeiras e viagens em geral, o ramo de turismo pode ser indicado, bem como os trabalhos de tradução e comunicação internacional.

(de 22/12 a 20/1) CEDRO
CEDRO proporciona características como a persistência e a determinação. As pessoas que nascem sob sua influência são firmes, responsáveis e capazes de enfrentar as maiores adversidades com serenidade e autoconfiança. Não se abalam facilmente e nunca abrem mão do que querem.
No Amor: Quando se trata de escolher uma pessoa para amar, o nativo e a nativa de CEDRO se revelam bastante exigentes. Buscam alguém que seja fiel, que não minta nunca, que tenha uma boa perspectiva em todos os setores da vida. Esse excesso de racionalidade pode afastar as grandes paixões, mas certamente contribui para uma vida amorosa estável.
Na Profissão: Esforçadas ao extremo, as pessoas que nascem sob o signo de CEDRO se dedicam com afinco à busca do sucesso profissional e da estabilidade financeira. Não são sedentas de poder - preferem até ficar "escondidinhas", mas obtendo bons lucros, do que aparecer demais e arranjar concorrentes que lhes ameacem a tranquilidade. São ótimas para lidar com assuntos administrativos.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

A Dança do ventre para a criança.

Assunto polêmico, muito discutido na rede e entre as profissionais da dança do ventre...


Pode ou não Pode?

Essa é uma questão em que temos que usar bom senso, pois como não existe nenhum artigo científico sobre o assunto, nenhuma pesquisa acadêmica foi realizada até os dias de hoje, portanto não podemos afirmar com certeza e tirarmos conclusões precipitadas.
A dança de uma forma geral traz vários benefícios para a criança. É uma atividade que exige concentração, pois as crianças aprendem a ter respeito a algumas regras da dança, assim como em qualquer outro esporte; desenvolvem a autoconfiança, porque, de certa forma, desafia um pouco o corpo; sociabiliza o contato com outras crianças, dançar estimula disciplina e criatividade nas crianças,obedecer os horários das aulas, zelar pelo uniforme e os acessórios, seguir à risca a coreografia e os ensinamentos.
Para o professor Roosevelt Pimenta, o fator mais significativo no aprendizado da dança é a disciplina. Ele também destaca os benefícios físicos que a atividade gera, além da consciência corporal, musical — “As crianças aprendem a ter gosto pela boa música” — e também um conhecimento maior sobre o aparelho motor. O senso de pontualidade também é destacado pelo mestre.
Na cultura árabe a menina (criança) só deixa de ser criança a partir da sua menarca, a partir deste momento ela começa a ser preparada para sua vida adulta e obrigações de mulher que é, então é introduzida a dança do ventre, afim de que ela seja preparada para gestações sem problemas e parto naturais e sem dor. A dança do ventre também traz esse benefício, porque tem movimentos que massageiam os órgãos abdominais. Além, de trabalhar a sensualidade e a sexualidade da mulher. Se aplicarmos isso para a criança podemos estar trabalhando um lado, que para a criança ainda não pode ser desenvolvido.
No Oriente a dança faz parte da vida cotidiana e funciona como uma grande brincadeira. Dança-se em casa ouvindo música ou cantando, e não existe o sabor que a dança assumiu aqui no Ocidente, como arma de sedução. Meninas muito jovens, pequeninas mesmo, às vezes, com 5 ou 6 anos, já arriscam seus passinhos e demonstram, de forma natural, uma consciência apurada e fresca da leitura musical. Este é um presente que apenas aquelas que nascem dentro do meio recebem.
As antigas tradições têm sua razão de ser, os movimentos da dança do ventre são muito eficientes e benéficos, mas, mal direcionados podem causar sérios danos ao funcionamento dos órgãos abdominais (reprodutores, digestivos, respiratórios), além de outros causados por qualquer exercício errado: coluna, ligamentos, articulações, etc.
A criança por estar em constante desenvolvimento, precisa ser bem direcionada na dança ou em qualquer tipo de atividade física...
Portanto se sua filha se interessa pela Dança do Ventre, gosta e pede para fazer aulas, procure alguém com capacidade para tal. Um profissional bem conceituado e interessado no desenvolvimento da criança de uma forma plena e não só preocupado com a beleza da dança.

Então podemos atentar para algumas “regrinhas” básicas para que sua filha não saia prejudicada das aulas de Dança do Ventre...

*As aulas devem ser somente para crianças e de preferência na mesma faixa etária.
*Não se deve exigir técnica especifica para dança
*Controlar a ansiedade da criança e da mãe para que ela dance com excelência.
*A mãe deve acompanhar as aulas para se certificar que sua filha está mesmo com uma ótima profissional.
*A brincadeira deve estar sempre presente nas aulas, o aprendizado tem que ser feito de maneira prazeirosa.
*Em apresentações, não deixe que a menina se torne uma mini adulta, a roupa tem que ter a carinha da criança, portanto saias não são uma boa ideia, melhor optar pela calça, estilo Gênio, “fofinha” e sem transparências, não usar bostiens e sim tops com manguinhas e menos curto. Maquiagem o mais natural possível, sem carregar de mais.


E lembrem-se

“Criança tem que fazer coisa de criança”


Não acelerando o processo, ela terá uma ótima e aproveitada infância.



Tempestade Lunar

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Os signos e a beleza feminina


Qual é o padrão de beleza de seu signo?

Cada signo do Zodíaco determina características muito particulares da beleza feminina. Mas, não se esqueça, seu ascendente também pode dizer muito sobre você e sua vaidade. Confira as características do seu signo e aproveite para dar uma olhadinha nas características do seu signo ascendente também: você pode descobrir (ou confirmar) muita coisa sobre você:

Áries - Uma ariana raramente passa despercebida. Desprende de um vigor tão intenso que acaba se tornando difícil alguém ficar indiferente à sua presença. Ativas, adoram esportes, exercícios e desafios. Entranhada em sua alma há uma vaidade gigantesca. São extremamente conscientes de sua própria aparência, esforçando-se sempre em manter um corpo bonito e saudável, com mania à perfeição. A extravagância das arianas é de caso pensado: cultivam a diferença como forma de se sobressair em relação aos outros. Ser igual, pra elas, é um insulto.

Touro - Sensualidade. Esta é a palavra de ordem da taurina que é movida por suas sensações o que tem implicações diretas na maneira como se mostra ao mundo. Gosta de se cercar de coisas bonitas e agradáveis: aromas harmônicos, texturas agradáveis, boa música etc. As taurinas são ícones do feminino e costumam ostentar tudo o que se convencionou chamar de característico de feminilidade. Valorizam o que é caro, precioso e requintado, mas também apreciam o simples. Adoram marcas caras de cosméticos, estojos de linha clássica, batons vanguardistas, fragrâncias refinadas.

Gêmeos - assim como o elemento de seu signo, o ar, a geminiana é volátil e mutável. Um dia tem o cabelo comprido, no outro, enjoa de sua aparência e aparece com os fios cortados bem rente. Tanta imprevisibilidade pode caracterizar uma geminiana podendo-se reconhecer esta nativa por sua paixão por mudanças. Curiosíssima, adora novidades e consome notícias, devorando revistas de moda e estilo, xeretando vitrines etc. Tudo se torna rapidamente obsoleto nas mãos de gêmeos, seja um computador ou um xampu.

Câncer - Tímida, delicada e conservadora, a canceriana prefere o correto ao extravagante. Prefere impressionar e seduzir de maneira mais sutil. Muito vulneráveis à opinião alheia sobre sua pessoa, dificilmente assumirão qualquer risco de se expor ao ridículo, por isso prefere ater-se ao conhecido. Profundamente ligada ao passado e a tudo o que aconteceu de bom: é raro ver uma canceriana penteada, maquiada e vestida de acordo com as últimas tendências. São fiéis a um mesmo perfume e batom que experimentaram (e aprovaram) no passado. São apegadas a determinados itens e são leais às grifes que elegeu como suas favoritas e são sinônimos de tradição. Mantém o mesmo corte de cabelo por anos, feito, é claro, pelo mesmo cabeleireiro e a mesma cor de esmalte por um tempo incalculável. Nem adianta a manicure lhe oferecer a alternativa de usar outros tons. Para ela, não há a menor lógica em trocar o certo pelo duvidoso.

Leão - Leonina tem o dom natural de iluminar ambientes e atrair a atenção. É carismática, ostenta uma elegância natural ao se movimentar, mostra-se confiante, está sempre produzida de uma forma chamativa. Não é discreta, tem necessidade de ser notada e admirada. Seu cabelo, quase sempre longo, é bem tratado, macio e brilhante. Para elas, é fundamental ostentar uma juba de dar inveja! Sua pele exibe um bronzeado o ano inteiro. Não sonha com uma barriga definida mas com coxas que despertem o desejo.

Virgem - Virginiana veio ao mundo para analisar, discernir e escolher. Produzir-se, para ela, não é decorrência do acaso: é um processo que cumpre rigidamente essas três etapas. Analisa as cores da maquiagem para a próxima estação, o perfume exposto na prateleira, o tratamento que tem sido prescrito pelos médicos. Lê bulas, experimenta o que estiver no mostrador, pede amostras, testa combinações. Depois de analisar tudo e ter certeza do que quer, vai definir o que realmente precisa e o que realmente quer. A mulher de virgem se exige muito, tem uma preocupação em estar sempre arrumada de maneira conveniente, e isto pode provocar uma grande exaustão física e mental. São 'experts' em harmonizar roupas, maquiagens, acessórios e penteados. Fazem combinações inusitadas, porém perfeitas.

Libra - a Libriana, regida por Vênus, a deusa do prazer, é considerada por muitos o signo mais elegante. Tem a capacidade intuitiva de juntar uma coisa à outra, sempre da melhor maneira possível. A regra vale para roupas, objetos, cores, texturas, porções. A mulher de Libra sempre sabe o que combinar com o que, qual é o penteado adequado para cada ocasião, quando é adequado ou proibido usar brilho, que perfume cai bem à noite ou de dia. Prefere tons suaves, pastel, que não agridam o visual. Combinar é a palavra de ordem, sempre com muita discrição. Cuida da maquiagem e da roupa com atenção e detalhismo e dificilmente usa fragrância forte ou extravagante.

Escorpião - Este é um signo sinônimo de mistério, o mais profundo, denso e fechado do Zodíaco. Assustadora e fascinante ao mesmo tempo, a escorpiana sabe que é sexy e poderosa. Adora realçar esses atributos, investindo em maquiagem para os olhos sem se importar com a moda. O que lhe interessa é ser e estar sensual. Faz do seu look o que bem entende e adora cabelos longos, pesados e escorridos com uma tendência ao hippie ou o que faça vir à mente a imagem de uma sacerdotisa pagã da Bretanha antiga. Adora tudo o que é místico e esotérico como aromas orientais, essência de patchouli, bindis (o "terceiro olho" que as indianas usam na testa), óleos essenciais etc.

Sagitário - A sagitariana é capaz de sair de casa despenteada e com o esmalte descascando sem sentir o menor constrangimento. É que a vida lá fora não espera e elas não vão perder tempo com detalhes enquanto houver algo estimulante para se fazer. Dão risada do próprio desligamento, improvisam rápidas correções. É um pouco displicente com seu visual mas geralmente exibe corpo escultural. São impacientes com academias mas adoram esportes de aventura e os excessos de calorias desaparecem antes mesmo que o corpo tenha acumulado em forma de gordura.

Capricórnio - Capricorniana valoriza a tradição acima de tudo e tem uma idéia spolida do que quer passar: deseja exalar correção, integridade e classe. Apresenta-se de forma calculadamente discreta: cabelo bem cortado, roupas clássicas e com perfeito caimento, maquiagem sutil, perfume sóbrio. Passa a vida refinando seus gostos e retocando a si mesma. Procura um cabeleireiro competente e em quem confie, encara pedicure e manicure toda semana, faz tratamentos para manter a pele em ordem. Para ela, tudo é investimento, está se mostrando ao mundo por meio de seu corpo.

Aquário - Dificilmente uma nativa deste signo é igual a outra graças a sua excentricidade. Unhas pintadas de azul, cabeça raspada, visual chocante. Não se descobre uma aquariana pelo o que tem igual às outras mas o que tem de incomum e diferente. Ela ama invenções e descobertas e quer experimentar as novidades pois deseja entender, comprovar, aprender. Quer tirar os pontos de interrogação da própria cabeça. Geralmente antecipam a moda por sua ansiedade pelo futuro. Já é uma mulher cibernética faz tempo, recorre à maquiagem prateada e perfume sintetizado muito antes desses produtos virarem moda.

Peixes - A pisciana nem percebe o tempo passar de tão perdida que está em suas paixões e fantasias. Em geral, não tem determinação suficiente para alterar nada na própria vida, inclusive seu corpo, sua saúde e sua aparência. Dificilmente começa uma dieta, demora a se matricular em academias e são poucas as vezes que conseguem manter um estilo de penteado criado por um cabeleireiro. Esforço e persistência simplesmente não combinam com ela. Quase sempre ostenta cachos de princesa, roupas delicadas e um olhar meio perdido que pede proteção. Por outro lado parece distante e até um pouco perigosa. Tem ares de sereia e gera impressões contraditórias.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010


“As palavras são lágrimas que foram escritas. As lágrimas são palavras que precisam jorrar. Sem elas, nenhuma alegria tem brilho, nenhuma tristeza tem final.”

Paulo Coelho (O Aleph, 2010)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

"A Dança do Ventre não pertence a ninguém, ela é patrimônio da humanidade!"
Tempestade Lunar

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A primavera em cada um


Olá queridas amigas e amigos!
Que bom poder compartilhar com vocês mais uma linda primavera!
Desde que o mundo é mundo e que nós o habitamos, esta linda estação tem sido sinônimo de renascimento!
Não só de plantas, flores, frutos e animais, mais também renascimento humano como uma pequena parte desse imenso universo. Os antigos aprenderam que com cada primavera de um novo ano podemos renascer em nós mesmos nos tornando melhores e renovados. E dessa forma aprendemos que, renovar é progredir. Então faço um convite a vocês...
Vamos renovar? Renascer? Progredir?
Como? Perguntam-me vocês... Da forma mais simples e prática possível. Façam uma limpeza em vocês mesmos... Deixem os sentimentos negativos, as mágoas, as tristezas, as dores emocionais, os pensamentos ruins, enfim tudo o que não seja positivo sair de vocês dando espaço em seus corações para o novo, os sentimentos positivos, os pensamentos bons e agradáveis!
O segredo do bom viver queridos, é a simplicidade de se viver!
Dentro de suas necessidades procurem deixar suas vidas mais simples e possível, não tornem as dificuldades que se apresentam no dia a dia mais difíceis do que elas são.
Trabalhem com alegria e disposição, tenham sempre uma palavra amiga para com o próximo (sei que isso nem sempre é praticável), mas tente, você verá que com a prática, as situações vão se tornando mais leves e fáceis de encarar. Lembrem-se sempre que você faz parte de um todo, você é apenas uma pequena engrenagem nessa imensa máquina que se chama Terra. Se você fizer o seu trabalho corretamente as outras peças também o farão e assim o planeta devolverá a você todo o benefício que recebe, dando-lhe a beleza de um por do sol, o perfume e as cores das flores, o frescor das plantas, a umidades das águas, o canto dos pássaros, o doce das frutas e a amorosidade de um sorriso de criança!
Vamos fazer a nossa parte então? E aproveitem também para fazer uma pequena limpeza em suas casas, nada de muito estressante apenas o básico. Nem que seja por uma gaveta apenas, mas procure limpá-la doando o que não te interessa ou serve, mais abrindo assim espaço para o novo em sua vida!
Ahhhhh, e se quiserem uma ajuda extra para deixar o seu ambiente energéticamente limpo, use a alfazema. Tanto como perfume ou em flores secas, essa flor tem a particularidade de dissipar energias negativas transformando-as em positivas, além de deixar um perfume suave e agradável .
Feliz renascimento a todos e que possamos nesta primavera plantar uma semente de renascimento em cada um de nós!

Caminhada florida e muitos beijos dançantes!


Terra Majestade



quinta-feira, 14 de outubro de 2010

" O homen precisa escolher
- e não aceitar-
o seu destino."

Paulo Coelho

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Laci dos Deuses


Ingredientes

750 ml de chá de Cidreira gelado
250 ml de suco concentrado de maracuja
hortelã e açúcar a gosto.

Modo de Preparo

Bata tudo no liquidificador e sirva gelado.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Danças Folclóricas - Dança das Flores


Uma dança linda e singela, muito representativa, pois é a própria primavera. Dança festiva e comemorativa, na qual a bailarina dança com um cesto de flores ou de pétalas de flores.Dizem que esta dança surgiu na época em que as camponesas egípcias trabalhavam na colheita de flores durante a primavera, e para amenizar o trabalho, cantavam e dançavam.

Mais adiante, tornou-se uma dança comum nas festas populares.

É uma dança delicada e alegre. Boa para começo ou abertura de show, bem como para comemorações especiais como dia dos namorados, dia das mães.
Não há trajes, ritmos ou músicas especificas, mas sugere-se dançar ao som de músicas alegres e que tratem de temas relacionados a flores ou colheitas.
Representa a alegria, e as dançarinas com suas cestas espalham flores e pétalas pelo ambiente em que circulam, ou as jogam delicadamente nos anfitriões, nos aniversariantes ou noivos. Nestes, as pétalas podem ser vermelhas (amor) e brancas (paz e união), um gesto lindo de desejar felicidade ao casal. Essa dança é muito interessante quando interpretada por adolescentes, ou mesmo meninas, pois simbolizam a pureza. A entrega de flores ou pétalas ao público durante a dança é comum também, e acrescenta um charme à apresentação.
Enquanto dança, a bailarina pode segurar o cesto de flores na cabeça, no ombro, ao lado do quadril, etc. Pode prender uma flor entre os dentes, bem como movimentar e segurar a saia enquanto dança.

Dicas de movimentação:

-segurar a cesta com uma mão e a outra colocar na cintura, e fazer alguns movimentos de quadril como básico egípcio e oitos;
-fazer desenhos no ar (como círculo, por exemplo) com o cesto nas duas mãos.-segurar o cesto sobre um ombro e fazer básico egípcio e oitos;
-segurar o cesto com as duas mãos e aproximá-lo do movimento de quadril, por exemplo, do básico deslocando;
-segurar o cesto acima da cabeça e fazer oitos;
-colocá-lo no chão e dançar próximo a ele antes de pegá-lo novamente.
Tempestade Lunar

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Equinócio e Deusas da Primavera


O Equinócio no hemisfério Sul é chamado de Austral e marca a chegada de uma nova bela estação no mês de setembro.
No próximo dia 22/09 aconteceu o Equinócio. O Sol cruzou o equador celeste e a noite e o dia terão a mesma duração de 12 horas. Essa especial data do calendário, que no hemisfério Norte ocorre no mês de março, é motivo de comemoração pela chegada de uma estação cuja característica de renovação e esperança é retratada pelo colorido das flores que enfeitam o planeta.
Este é um momento de regeneração das energias com a bênção dos campos e das sementes, onde o dia e a noite se tornam iguais, portanto, uma data de maior equilíbrio e reflexão interior.
É a presença de mais um ciclo de vida na Terra revelando todo esplendor da maravilhosa criação da natureza. As árvores e plantas que pareciam secas e mortas começam a renascer, novas folhas verdes despontam, as flores desabrocham e anunciam com seu perfume que a primavera já chegou. Nas montanhas, nos campos, no cerrado, no sertão, na mata atlântica, nos jardins e parques das cidades, o florescer do verde e das flores dão o ar da graça e nos convida a contemplar e vivenciar a energia da nova estação.
Muitas vezes esquecemos de observar as sementes, as flores, os frutos e enxergar o sagrado da harmonia, pureza e fertilidade da natureza. Nessa grande Mãe Terra, chamada poeticamente pelos gregos de Gaia, os elementos encontrados nos variados cenários dos continentes sinalizam que fazemos parte dessa força geradora da vida.
Mitos, rituais e símbolos para celebrar a Primavera têm registro em diferentes culturas:
Na Grécia encontramos a Deusa Perséfone; o mito do vento oeste Zéfiro que se apaixona pela ninfa Cloris;
Na mitologia anglo-saxã, nórdica e germânica encontramos Eostre também chamada de Ostera que é a Grande Deusa Mãe da Fertilidade, associada à aurora e a luz crescente da Primavera;
Em Roma, temos a Deusa Flora;
No Japão, o povo que tem adoração pelas flores, em especial a cerejeira, rende homenagens a princesa Kono-hana-sakuya-hime, que segundo conta a lenda, teria caído do céu no Monte Fuji em cima de uma Sakura, nome da cerejeira na terra do sol nascente e assim...
Nos diversos países do hemisfério Norte e Sul a primavera registra sua passagem anualmente trazendo o renascimento da vida para iluminar o cotidiano das pessoas. Aqui no Brasil, de norte a sul, os festivais movimentam a paisagem cultural das cidades com flores, música, dança e gastronomia.
Aproveite a chegada da primavera para despertar sua percepção, olhando, sentindo, ouvindo, contemplando e aprendendo com os encantos da natureza.


Tempestade Lunar

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Porque sou uma Bruxa...


Sou uma Bruxa, porque...

Sempre que abro os olhos, ao despertar, me emociono por mais um dia para viver, livre e comprometida com as coisas e as causas da Grande Mãe. Neste momento, procuro refletir a respeito dos tantos dias que nos foram tirados, por inveja, injúria e cobiça, e peço luzes e força a Deusa Mãe para o dia de hoje.

Sou uma bruxa porque, ao abrir as janelas e respirar o ar da manhã, agradeço à Deusa pelo dom da vida e celebro o Pai ar pela sua presença em mim.

Sou uma bruxa porque, ao me alimentar, celebro aquele bendito alimento e bendigo todos aqueles que contribuíram com seu trabalho para que o mesmo chegasse à minha mesa.

Sou uma bruxa porque, sempre de alguma forma renasce o amor em mim, e minha alma agradecida transmite luz.

Sou uma bruxa porque sempre me envolvo e me comprometo a serviço da justiça e da paz no mundo.

Sou uma bruxa porque estou sempre insistindo em abrir as portas do meu coração, para transmitir os ensinamentos dos antigos e facilitar o despertar da grande arte nos corações dos que me cercam.

Sou uma bruxa porque estou sempre acendendo um fósforo sem maldizer a escuridão.

Sou uma bruxa porque busco a verdade sem jamais me conformar com a mentira e o subterfúgio.

Sou uma bruxa porque sempre renuncio ao egoísmo e procuro ser generosa.

Sou uma bruxa quando sorrio para alguém, mesmo estando muito cansada, pois conheço o valor do sorriso.

Sou uma bruxa quando preparo um chá que vai curar, ou pelo menos amenizar a enxaqueca daquela vizinha chata.

Sou uma bruxa quando tomo um animal em meu colo para lhe amenizar a dor. Quando planto e colho uma erva e agradeço a Gaia por tamanha dádiva.

Sou uma bruxa quando persigo a luz de uma estrela com o olhar e o coração nas trevas que nos circundam. Quando levo a fé nos Deuses por entre linhas, apenas com minhas ações.

Sou uma bruxa quando, em rijo, sinto o rio do sangue da vida que escoa nas minhas entranhas. Quando sou fogo que estimula o coito, e água que transforma e modifica cursos.

Sou uma bruxa porque me aconchego no seio sagrado da terra, voltando ao colo sagrado. Quando abro o círculo invocando os ventos do norte, buscando no canal dos antigos o néctar do renascer.

Sou uma bruxa porque quando falo em liberdade me sinto águia. Quando falo de sabedoria me sinto coruja, e quando falo do belo me sinto arara.

Sou uma bruxa porque estou sempre atenta ao perfume, que não posso derramar no próximo sem que também me atinja, e a lei tríplice se faz em mim.

Sou uma bruxa quando vivencio o sabor do pão partilhado. Quando procuro pedir perdão e recomeçar.

Sou uma bruxa quando me recolho ao silêncio perante um julgamento preconceituoso ou injusto a meu respeito, e entrego ao tempo, o único pólo óptico da verdade imutável.

Sou bruxa quando desenvolvo em meu ser a humildade de viver e morrer como o grão de trigo, para depois frutificar searas de luz, de tenacidade e de esplendor.

Sou uma bruxa porque estou sempre ressurgindo das cinzas como Fênix. E assim, retomo a minha vivência concreta, cujo itinerário principal é a minha Deusa interior, forte, guerreira, translúcida, serena e amorosa a despertar em mim.

Por tudo isso sou uma bruxa!




Tempestade Lunar

segunda-feira, 20 de setembro de 2010



"Uma criança pode ensinar três coisas a um adulto: a ficar contente sem motivo,a estar sempre ocupado com alguma coisa, e a saber exigir com toda força - aquilo que deseja".

Paulo Coelho

Danças Folclóricas - Tanura

Lua Mística - integrante do Grupo As Sacerdothisas -
Dança Tanura - Mostra cultural de Danças.

A Dança dos Devixes
Rumi

O 'giro', meditação em movimento feita pelos dervixes Mevlevi, começou com Rumi. Conta a história que ele andava pela seção dos ourives em Konya (na Turquia) quando percebeu uma linda música no som dos martelos. Começou a girar em harmonia com o som, numa dança extática de entrega mas mantendo-se centrado. Ele chegou a um ponto em que o ego se dissolve e entra-se em ressonância com o espírito universal. Dervixe significa 'passagem'. Quando a comunicação flui de presença a presença, ocorre o darshan, com linguagem por dentro da visão. Quando a gravidade puxa com mais força, os dois se tornam um só giro que é molecular e galático e uma lembrança espiritual da presença no centro do universo. Girar é uma imagem de como o dervixe se torna um lugar livre para o humano e o divino se encontrarem. Para alcançar o todo, a parte deve ficar louca. Esse povo sagrado extático, chamados de "matzubs" na tradição sufi, redefine este tipo de loucura como a verdadeira saúde.
Quando viu os dervixes no Cairo, em 1910, Rainer Maria Rilke, o grande poeta espiritual deste século, disse que os giros eram uma forma de ajoelhar-se. 17 de dezembro é celebrado todos os anos como o dia do casamento de Rumi, a noite em que ele morreu e atingiu a união perfeita.

Um giro secreto em nós
faz girar o universo
A cabeça desligada dos pés,
e os pés da cabeça.
Nem se importam.
Só giram, e giram.
Rumi
Coleman Barks, tradutor para o inglês, The Essential Rumi, HarperSanFrancisco, 1995.
Girando...


A palavra dervixe descreve um Sufi que está à porta da iluminação. Um Sufi é um membro masculino da ordem dos dervixes rodopiantes, famosos em todo mundo. É um místico. A palavra Sufi vem da palavra-raiz grega 'sophos' que significa sabedoria. (Segundo o Xeque Abdullah Khalis El-Mevlevi, "...a palavra Sufi...[vem] da palavra árabe Sûf, que significa lã. Outra palavra para Sufis é tassawwuf que significa 'de lã'.")
No Oriente Médio acredita-se que o dervixe está em oração e que seu corpo se torna aberto para receber a energia divina. Os sultões turcos sempre consultavam os Dervixes em tempos difíceis. O girar deles gerava um efeito relaxante e hipnótico no qual os sultões podiam buscar orientação.
Durante essa cerimônia religiosa solene, acredita-se que o poder divino entra pela palma da mão direita, apontada para cima, passa pelo corpo e sai pela palma da mão esquerda, apontada para baixo, em direção à terra. O dervixe não retém o poder nem o direciona. Ele aceita que é o instrumento de Deus e portanto não questiona o poder que entra e sai dele.
Há discussões sobre pra qual lado se deve girar. Alguns pontos a serem observados:
* Comece lentamente, para crescer e depois diminuir novamente.
* Comece andando num giro para a direita (sentido horário) com os braços para baixo rentes ao corpo.
* Depois de alguns giros completos traga a palma da mão direita para cima (braço totalmente esticado) e a palma da mão esquerda para baixo (braço totalmente esticado).
* Continue girando para a direita por algum tempo. (preferencialmente 7 giros completos)
* Então, levante a mão esquerda um pouco acima dos ombros mas não na mesma altura da cabeça. Ao mesmo tempo incline a cabeça de forma que a orelha esquerda encoste no ombro, ainda girando para a direita.
* Tombe a cabeça para a frente, com o queixo perto do peito e os olhos mirando o chão. Os braços continuam altos e você girando para a direita. * Incline a cabeça para a direita, a orelha direita encostando no ombro e você olhando em direção à mão direita. Ainda girando para a direita.
* Tombe a cabeça para trás e olhe para o céu. Ainda girando para a direita.
* Sempre comece o giro pela direita. Só depois de muitos giros você troca a posição dos braços e muda os giros para a esquerda (sentido anti-horário). * Deve-se sempre terminar com giros completos para a direita. As oscilações e círculos de cabeça podem ser no sentido contrário do giro.

Tanura

No Egito, a dança de giros dos dervixes é chamada de Tanura. Lá, ela tem algumas peculiaridades e é onde mais se vê apresentações desta dança. A apresentação da Tanura tem 3 partes: a introdução, que é uma demonstração dos músicos e seus instrumentos; a dança de apresentação da dança da tanura, que é um aquecimento de tipo uma introdução dos dançarinos; e finalmente a dança tanura sufi (Darawishes).
A base filosófica dos giros vem dos Mawlawis, que dizem que o movimento do mundo começa e termina no mesmo ponto, sendo, portanto, circular.
Quando o dançarino da tanura se move, ele é como o sol, e os dançarinos ao redor são os planetas. Ele desamarra e tira quatro saias diferentes durante o final. Seus rodeios simbolizam a sucessão das quatro estações e os movimentos no sentido anti-horário são exatamente como o movimento ao redor do "Kaaba" (o santuário sagrado de Meca).
Na Turquia é comum ver os dervixes com a roupa toda branca, mas na Tanura o comum roupas é mais coloridas.

Tempestade Lunar

terça-feira, 14 de setembro de 2010

"A felicidade não se encontra nos bens exteriores."

Aristóteles

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

CHARUTINHO DE REPOLHO


INGREDIENTES
300g de carne moída
1 cebola ralada
1 dente de alho picado
4 colheres de sopa de salsa picada
Suco de 2 limões
Sal e pimenta síria a gosto
1/2 xícara de chá de arroz
1/2 repolho grande

Molho
3 colheres de sopa de óleo
1 cebola picada1 dente de alho
1 xícara de chá de purê de tomates
2 xícaras de chá de água
Sal e pimenta síria a gosto
3 colheres de sopa de salsa picada
Manjericão ou louro, segurelha, orégano fresco

MODO DE PREPARO
Tempere a carne: coloque-a numa tigela, juntando a cebola, o alho, o sal, a pimenta, o limão, a salsa e o arroz. Misture tudo e reserve, enquanto as folhas cozinham.
Tire as folhas maiores do repolho com cuidado. Corte as partes duras. Leve ao fogo uma panela grande com água, junte sal a gosto e cozinhe as folhas até ficarem macias, mas não derretendo. Para ver se estão boas, experimente enrolar uma delas.

Charutinhos
Esprema um tanto do recheio que caiba em sua mão e coloque-o no centro de meia folha de repolho cozido. Dê uma volta, dobre os lados para dentro e continue a enrolar. Não é necessário prender com palito. Não se preocupe se não ficarem todos do mesmo tamanho.

Molho
Leve uma panela ao fogo para aquecer. Coloque o óleo e refogue a cebola e o alho. Em seguida, junte o purê de tomate e a água e tempere. Coloque os rolinhos na panela e deixe ferver em fogo baixo. Cozinhe por cerca de 20 ou 25 minutos. Sirva com arroz branco.

Dicas
Congelando: coloque os charutinhos e o molho num utensílio próprio para congelamento, com tampa.
Esfrie rapidamente numa bacia com gelo, etiquete (três meses) e leve ao freezer.
Se não encontrar pimenta Síria, use pimenta-do-reino misturada a canela em pó, meio a meio.

Rendimento
6 porções

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O conceito de Deus no Islam

É conhecido o fato de que qualquer língua possui um ou mais termos que são empregados em referência a Deus e às vezes a divindades inferiores. O mesmo, contudo, não sucede com a palavra Allah. Ela designa o nome pessoal do Único Verdadeiro Deus. E ninguém mais poderá ser chamado de Allah.
O termo não possui número ou gênero. Isto demonstra a sua unidade quando comparado com a palavra Deus que pode ser transformada em plural, deuses, ou feminino, deusa.
É interessante notar que Allah é o nome pessoal de Deus em aramaico, a língua de Jesus e língua irmã do árabe.
O único e verdadeiro Deus é o reflexo do conceito único que o Islam associa a Ele. Para um muçulmano, Deus é Onipotente, Criador e senhor do Universo. Que não é semelhante a nada, e nada é comparável a Ele. O Profeta Mohammad foi interrogado pelos seus contemporâneos quanto a Deus: a resposta surgiu diretamente do Próprio Deus em forma de uma pequena surata do Alcorão, que é considerada a essência da unicidade, ou a divisa do monoteísmo. Nela se lê:

“Disse: Ele é Deus, Único! Deus, o absoluto! Jamais gerou ou foi gerado! E ninguém é comparável a Ele!”

(112ª Surata, versículo 1-4).


Alguns não muçulmanos alegam que o Deus do Islam é severo e cruel, e que exige obediência total; não é amável e bondoso. Nada pode ser mais absurdo e estar mais afastado da verdade do que esta alegação. É suficiente sabermos que, com exceção de uma, todas as restantes 113 suratas do Alcorão principiam com a frase:
“Em nome de Deus, o clemente e misericordioso”.
Numa das afirmações do Profeta fomos informados que “Deus é mais amável e bondoso que uma mãe para com o seu querido filho”.
Mas Deus é também justo. Consequentemente, os malfeitores e pecadores devem merecer a devida parte de punição, e os virtuosos a sua recompensa e seus favores. Na verdade, o atributo de Misericordioso possui total manifestação no seu atributo de justo. Pessoas sofrendo pela sua causa, durante toda a sua vida, não devem de maneira alguma merecer tratamento semelhante por parte do seu Senhor. Esperar um trato semelhante para com essas pessoas significará negar a realidade de ajuste de contas do homem na vida do Além e, através disso, rejeitar todos os incentivos para uma vida moral e virtuosa neste mundo.
O Islam rejeita a caracterização de Deus em qualquer forma humana, ou descrevendo-o como favorecendo certos indivíduos ou nações com base na riqueza, na raça, ou no poder. Ele criou os seres humanos em igualdade. Eles devem-se distinguir entre si e obterem o seu favor somente através de virtudes e piedades. O conceito de que Deus descansou no sétimo dia da criação, que Deus é conspirador e invejoso da humanidade, ou que Deus está encarnado em qualquer ser humano é considerado blasfêmia sob o ponto de vista islâmico.
O simples uso da palavra Allah com o nome pessoal de Deus é o reflexo da ênfase islâmica quanto a pureza da crença de Deus, que é a essência da mensagem de todos os seus mensageiros. Devido a isso, o Islam considera a associação de qualquer divindade ou personalidade com Deus como um pecado mortal que jamais será perdoado, apesar do fato de Ele vir a perdoar todos os pecadores restantes.
Nenhuma criatura caminha sobre a terra, sem que a sua provisão esteja sob a responsabilidade de Deus. Ele lhe concede a morada e o repositório.


Fonte: Folheto nº9 do Centro de Divulgação do Islam para América Latina.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

"Ser forte é ter resignação para aceitar o que a vida lhe impõe"
Lua Mística (Tânia Mara)

"Com as pedras quem me atiram eu construo meu castelo, minha fortaleza... Obrigada!!!"

Lua Mística (Tânia Mara)

"A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro."
Platão

sexta-feira, 27 de agosto de 2010



"Existem momentos

na vida em que a única alternativa é

perder o controle."

Paulo Coelho

Danças Folclóricas - Dança do Candelabro

Integrante do Grupo - As Sacerdothisas
Evento de Formatura
de Dança do Ventre

Dança na qual a bailarina usa um candelabro sobre a cabeça. Recomenda-se que haja um véu sobre a cabeça, embaixo do candelabro.
Seu nome egípcio é Raks El Shamadan e sua provável origem é grega ou judaica.
Raks Al Shamadan. Este tipo de dança existe a muitos anos e fazia parte das celebrações de casamento e nascimento de crianças. É tradicionalmente apresentada na maioria dos casamentos egípcios, onde a bailarina conduz o cortejo do casamento levando um candelabro, específico para a dança, na cabeça. Desta maneira, ela procura iluminar o caminho do casal de noivos, como uma forma de trazer felicidade para eles.
Hoje em dia, é comum que a bailarina apresente a dança do candelabro no começo de seus shows. Este pode ser de 7, 9, 13 ou até mesmo de 17 velas, a critério de cada uma.
O ideal é que a roupa seja composta e adequada para este tipo de dança que é considerada sagrada, por celebrar casamentos e nascimentos de crianças. Não devendo se usar a roupa tradicional de dança do ventre bedlah (sais e bustiê), primeiro por causa da tradição que já foi mencionado, e segundo por estarmos movimentando duas energias poderosas, o fogo e o ventre.


Atenção: se você está disposta a se apresentar com o ventre de fora, usa-se o chamadan apagado e não aceso. Muitas vezes vemos em apresentações dançarinas com o shamadan aceso e ventre de fora, e, justifica-se falando que é só uma performance. Performance ou não respeite a cultura, a tradição. Esta dança não deve ser feita de qualquer forma, então faça a escolha certa.


As velas, na maioria das vezes, são brancas, porém há quem goste de velas coloridas e acreditam em seus significados. Vermelho é o amor passional, sexo e fecundidade. Lilás é transmutação, amarelo é saúde, verde é dinheiro, branco é pureza, azul é carinho e rosa é afeto.
É uma dança que requer mais movimentos delicados e sinuosos, além de bastante equilíbrio. A performance da bailarina deve ser delicada, as ondulações e movimentos sinuosos devem ser perfeitos, os braços devem ser bem trabalhados e a cabeça sempre ereta.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dançando para não dançar - Paulo Coelho


Tudo se move. E tudo se move com um ritmo. E tudo que se move com um ritmo provoca um som. Isso está acontecendo aqui e em qualquer lugar do mundo neste momento. Nossos ancestrais notaram a mesma coisa, quando procuravam fugir do frio em suas cavernas: as coisas se moviam e faziam barulho.
Os primeiros seres humanos talvez tivessem olhado isso com espanto, e logo em seguida com devoção: entenderam que essa era a maneira de uma Entidade Superior comunicar-se com eles. Passaram a imitar os ruídos e os movimentos à sua volta, na esperança de comunicar-se também com essa Entidade: a dança e a música acabavam de nascer.
Quando dançamos, somos livres.
Melhor dizendo, nosso espírito pode viajar pelo universo, enquanto o corpo segue um ritmo que não faz parte da rotina. Assim, podemos rir de nossos grandes ou pequenos sofrimentos, e nos entregarmos a uma experiência nova sem medo. Enquanto a oração e a meditação nos levam até o sagrado através do silêncio e do mergulho interior, na dança celebramos junto com os outros uma espécie de transe coletivo.
Pode-se escrever o que se quiser sobre a dança, mas de nada vale: é preciso dançar para saber do que se está falando.
Dançar até a exaustão, como se fôssemos alpinistas subindo uma montanha sagrada. Dançar até que, por causa da respiração ofegante, nosso organismo possa receber oxigênio de uma maneira a que não está acostumado, e isso termina por fazer com que percamos nossa identidade, nossa relação com o espaço e o tempo.
Claro que podemos dançar sozinhos, se isso nos ajuda a vencer a timidez.
Mas, sempre que possível, é melhor dançar em grupo, porque um estimula o outro, e termina-se criando um espaço mágico, com todos conectados na mesma energia.
Para dançar, não é necessário aprender em academias; basta deixar que o corpo ensine - porque dançamos desde a noite dos tempos, e não esquecemos isso. Quando eu era adolescente, ficava com inveja dos grandes “bailarinos” da minha turma da esquina, e fingia que tinha outras coisas para fazer durante as festas - como ficar conversando, por exemplo. Mas na verdade eu tinha pavor do ridículo. Até que um dia uma menina, chamada Márcia, me disse na frente de todo mundo: - Venha.
Eu disse que não gostava; ela insistiu.
Todos do grupo ficaram olhando e, porque eu estava apaixonado (o amor é capaz de tantas coisas!), não pude recusar mais. Fiz um papel ridículo, não sabia seguir os passos, mas Márcia não parou. Continuou dançando, como se eu fosse um Rudolf Nureyev.
- Esqueça os outros e preste atenção no baixo - sussurrou ao meu ouvido. - Procure seguir o seu ritmo.
Naquele momento, entendi que nem sempre é necessário aprender as coisas mais importantes; elas já fazem parte da nossa natureza. Na juventude, a dança é um rito de passagem fundamental: experimentamos pela primeira vez um estado de graça, um êxtase profundo, mesmo que para os menos avisados tudo não passe de um grupo de rapazes e moças divertindo-se em uma festa.
Quando ficamos adultos, e quando envelhecemos, precisamos continuar dançando. O ritmo muda, mas a música é parte da vida, e a dança é a conseqüência de deixarmos que esse ritmo penetre em nós.
Continuo dançando sempre que posso.
Com a dança, o mundo espiritual e o mundo real conseguem conviver sem conflitos. Como disse alguém que não me lembro, os bailarinos clássicos ficam na ponta dos pés porque estão ao mesmo tempo tocando a terra e alcançando os céus.



(Texto de Paulo Coelho, publicado no jornal O Globo – 22/abr/2007).